Rotax definiu seus sete campeões brasileiros e os dez pilotos classificados para o Rotax Max Finals
01/09/2019 16:11 em KARTISMO

Corridas boas são aquelas onde não dá nem tempo de respirar, não é mesmo? E foi assim em todas as sete categorias do Campeonato Brasileiro Rotax, que teve suas finais realizadas neste sábado, no Kartódromo Aldeia da Serra, em Barueri (SP). A competição teve fortes emoções, com sete novos campeões e a definição completa do Time Brasil, que disputará as Olimpíadas do Kart, na Itália.

Desde os treinos livres, realizados na última quinta-feira, os pilotos já mostravam qual seria a tônica das disputas pelo título nacional. O sábado amanheceu ensolarado e, com um dia inteiro reservado para as corridas finais, os pilotos puderam se concentrar no objetivo maior: o título. Porém, antes dos motores roncarem, os competidores participaram da cerimônia de abertura e puderam conferir de perto um carro da Fórmula Inter em ação. “Nosso objetivo é o desenvolvimento dos pilotos e o programa da Fórmula Inter também prevê isso. Então, achei muito válida essa parceria, que pode render bons frutos no futuro”, disse Wilton Santos Junior, da Mach5 Karting, promotora do Campeonato Brasileiro Rotax e distribuidora exclusiva da marca de motores austríacos no Brasil e Paraguai.

Passada a cerimônia de abertura e a apresentação da Fórmula Inter, foi a vez dos pilotos entrarem na pista para definir os campeões. A primeira categoria que ganhou a pista foi a Mini Max, que teve uma corrida muito intensa desde o início, com Luigi Di Lazzaro como vencedor. Além do título, o piloto carimbou seu passaporte para o Rotax Max Challenge Grand Finals, que será disputado em outubro, na Itália. Di Lazzaro, inclusive, estava em Le Mans, na França, no último final de semana, quando disputou e fez bonito ao chegar na sexta posição no RMC International Trophy.

Após o título de Di Lazzaro, foi a vez das categorias Rotax Max e Rotax Max Masters irem para a pista. O domínio ficou por conta de Guilherme Peixoto, piloto da Fórmula 4 Norte Americana, que comemorou o título e, de quebra, sua terceira participação consecutiva no RMC Grand Finals. Na classe Masters, o experiente Danillo Ramalho disputará o campeonato mundial pela primeira vez.

A final da categoria Junior foi eletrizante, com diversos pilotos lutando pela vitória desde o início. No final, Lucas Mendes sagrou-se campeão após protagonizar belas disputas com Guilherme Figueiredo e assegurou sua ida para a Itália.

A final da categoria Micro Max teve dois grandes nomes, Enzo Nienkotter e Murilo Rocha. Os dois pequenos pilotos duelaram pela vitória até a última curva, quando Nienkotter cruzou a linha de chegada na primeira posição, com apenas meio kart de vantagem para o segundo colocado.

Nienkotter ainda estava comemorando quando seu pai, Leonardo, foi para a pista para a disputa da corrida final da DD2 e DD2 Masters. Em uma prova muito movimentada, Leonardo e Rafael Reis pareciam se encaminhar para uma dobradinha dos irmãos, sempre seguido de perto por Guilherme Peixoto. Enquanto isso, Ruan Belizario vinha acompanhando o primeiro pelotão, ao mesmo tempo em que a disputa na classe Masters ficava entre Fernando Guzzi e Nienkotter. Na metade da prova, os irmãos Reis saíram da disputa em situações diferentes e a vitória parecia encaminhada para Peixoto, que teve problemas na abertura da última volta. Com isso, Belizario encaminhou sua vitória e a conquista da vaga. Entre os Masters, Nienkotter levou a melhor e garantiu o título e a vaga para o Grand Finals. Será a primeira vez que a delegação brasileira terá um pai e um filho competindo no mesmo evento.

Agora, os sete novos campeões se juntam aos já classificados Paulo Coelho, Rafael Reis e Diego Lozov e formam o Time Brasil, que representará as cores verde e amarela no RMC Grand Finals, marcado para ser disputado entre os dias 19 e 26 de outubro, em Sarno, na Itália. A competição é considerada as Olimpíadas do Kart, por reunir 360 campeões nacionais e intercontinentais vindos de 60 países diferentes para definir quais são os melhores pilotos do planeta.

Para Wilton Santos Junior, o Campeonato Brasileiro mostrou, mais uma vez, a força da Rotax. “Tivemos disputas intensas, eletrizantes. E é isso que conseguimos quando tratamos os pilotos de forma igual, privilegiando o talento de cada um. Formamos um time de peso, que une experiência e juventude para representar bem o Brasil na Itália. É a maior premiação do kartismo brasileiro e em 2020 temos ótimas novidades”, disse o dirigente.

O Campeonato Brasileiro Rotax é promovido por Mach5 Karting, com supervisão da Federação Paulista de Automobilismo e Confederação Brasileira de Automobilismo.

 

Fonte: WNGSPORTS

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!